A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

JCP-Paredes/ Iniciativa em Baltar


A JCP Faz 30 anos


Transformar a vida, construir o futuro!


Foi com responsabilidade e luta que os jovens estudantes comunistas do concelho de Paredes festejaram os 30 anos JCP, através de uma iniciativa no dia 13 de Novembro distribuição de um documento na Escola secundaria Daniel Faria de Baltar, em que os estudantes quiseram que a JCP lhes desse voz nas suas revindicações de graves repressões de um regulamento interno feito por gente que ainda vive o antes 25 Abril 1974. (ver documento original abaixo)
Hoje, em Portugal, no ensino público aumenta a elitização e caminha-se a passos largos para a sua privatização, abre-se a porta aos interesses do grande capital, ao mesmo tempo que são retirados direitos aos estudantes e se impõem entraves à sua participação, numa clara tentativa de diminuição da democracia nas escolas, aumenta a repressão sobre os estudantes e a ingerência na vida das Associações de Estudantes e outras estruturas estudantis.
No Ensino Secundário, os estudantes encontram um sistema de avaliação injusto e elitizante com os exames nacionais, o Estatuto do aluno, que mais não é que um código penal que visa limitar e impedir a luta dos estudantes, o novo regime de autonomia que institui a figura do director, introduz empresas nos órgãos da escola e retira os estudantes, a privatização dos serviços escolares como cantinas, bares, papelarias e gimnodesportivos, visando apenas a obtenção do lucro e chegando ao cúmulo de os alunos terem de pagar se quiserem jogar à bola depois das aulas, a Lei da Educação Sexual aprovada há mais de 25 anos que ainda não foi implementada nas escolas.


JCP-Paredes