A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



domingo, 28 de fevereiro de 2010

A causa da crise do PSD foi o PS. A causa da crise do PS é Sócrates

A causa da crise do PSD foi o PS. A causa da crise do PS é Sócrates. O PS não vê crise porque vê Sócrates. Sócrates não vê nada porque só vê o espelho. E está muito satisfeito consigo próprio. O PS governou no território político do PSD. O PSD nem soube de que se queixar nem soube disfarçar. Logo o PSD perdeu. O PSD faria igual ao PS. Mudavam os rostos. Mantinham-se os gostos. Em Ferreira Leite não há proporcionalidade entre idade e experiência. Em Sócrates não há proporcionalidade entre ‘poder’ e ‘saber fazer’. Ao PSD, até por um dos seus fundadores, foi diagnosticada morte certa. O PSD, moribundo, deixou testamento. Passos Coelho ficou com os Menezistas. Aguiar Branco com a inteligentsia. Rangel com o que sobrar. O PS, moribundo, entrou em transe. Há uma luz na escuridão. Essa luz é José Sócrates. Não adianta, ante a calamidade, olhar para o lado. Não há alternativa. Portanto defende-se o centro do vórtice. Defende-se o indefensável. O PSD precisa de tempo. O PS quer que passe rápido. O país não tem tempo. O mau tempo o destino traça. O país “cala a desgraça”. O PS agarrou-se ao europeísmo. O PSD serviu-se dele. No PS servem-se os amigos. No PSD também. O PSD não tem ideologia. O PS não a quis. O PSD tem companheiros. O PS também. Mas chama-lhes ‘camaradas’ (arrepios!). O PS quer ter governo. O PSD quer ‘mandar’. O país é o pobre coitado. Destes ‘uns’ e destes ‘outros’. Até um dia. Espero eu. STOP.

por Ivo Rafael Silva

Ler:Original: Telegrama Político de Portugal