A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



sexta-feira, 5 de março de 2010

Manif: Dia 26 de Março Jovens Trabalhadores de Paredes vão lá estar



Dia 26 de Março lá estaremos mais uma vez na rua a lutar, com a razão do nosso lado, com a força e determinação da juventude trabalhadora reclama do governo e dos patrões a recuar nas suas intenções, garantindo às novas gerações trabalho com direitos!


Lutamos por:

* A revogação das normas gravosas do Código de Trabalho e da Legislação Laboral da Administração Pública condição para travar a degradação em que o País e a vida dos jovens trabalhadores se encontra.

* O Combate eficaz ao desemprego que ponha fim aos despedimentos e aposte numa política de investimento do aparelho produtivo, com a criação de postos de trabalho, aproveitando as nossas capacidades e força de trabalho!
 
* Estabilidade laboral que ponha fim á velha chaga social que é a precariedade, exigindo a passagem a efectivos de todos os trabalhadores que exerçam funções de carácter permanente. Só a estabilidade laboral garante o emprego com direitos e direito a uma vida melhor para a juventude.
  
* Aumento REAL DOS SALÁRIOS medida imperativa para uma melhor distribuição da riqueza e aumento do poder de compra.
  
* Horários de trabalho dignos que permitam uma vida laboral com saúde, que assegure a harmonia com a vida familiar, e que dê espaço ao lazer, à cultura, ao desporto e a todas as formas de bem-estar numa sociedade moderna e desenvolvida.
  
* Defesa da contratação colectiva, como garantia de valorização do trabalho, garantindo assim um vasto conjunto de direitos, também eles previstos na Constituição da República Portuguesa, como forma de progresso do País e da vida dos jovens.