A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



domingo, 20 de maio de 2012

Informação capítulo I , O PlanIT Valley, mega operação de propaganda em Paredes

Filhos de Abril:
 Informa-se que iremos apartir de hoje, esclarecer, denunciar, tudo que estiver relacionado com a mega operação de propaganda da "Cidade Inteligente".

Os filhos de Abril têm recebido no ultimo ano vários "mails" de cidadãos anónimos ,políticos e de ex e actuais trabalhadores  que conviveram de perto com Lewis e do Dr. Celso, outros membros do PSD, Zorrinho do PS, Ministro Álvaro dos Santos Pereira e um sem numero de criaturas estrangeiras que actualmente já por cá não andam a gastar certamente milhares de euros na criação da ideia do "mega projecto inteligente" em Paredes de nome "A PlanIT Valley."

Os filhos de Abril agradecem a todos os que contribuíram com documentos e fotos , que foram de tal forma massiva (cerca de 25 Gigas de Informação).


Texto 1, retirado de She and Bobby McGee

PAREDES E O FUTURO II

Na campanha autárquica eleitoral anterior, a equipa do PSD liderada por Celso Ferreira prometeu “grandes novidades” para Paredes: o PlanIT Valley e a reconversão das “velhinhas” escolas primárias em centros de dia, casas da juventude e da cultura. Eram certamente duas promessas fortes. Vejamos a primeira, a extraordinária Cidade Inteligente.
Um investidor inglês surgira em Paredes com uma ideia, uma equipa, uma necessidade de parceria. Prometia um investimento de 10 mil milhões de euros, de 2009 a 2013, uma relação descentralizada com 12.000 parceiros públicos e privados (das áreas das telecomunicações, da distribuição, do ensino superior) que criariam 20.000 postos de trabalho, qualificados e não qualificados. Houve quem falasse no euromilhões tecnológico, na solidez das apresentações, na confiança de tais projectos que, realce-se, representaria um investimento 153 vezes o do estádio do Dragão ou 60 vezes o orçamento do Ministério da Cultura. Em 2007 a Câmara já tinha anunciado a criação de um cluster ligado às tecnologias para a indústria automóvel.
A cidade inteligente do senhor Lewis e do Dr. Celso crescia aceleradamente no imaginário paredense, desenvolvia-se em briefings e cocktails em edifícios camarários e em quintas, concretizava-se em reuniões com autarcas PS e com o secretário de Estado Zorrinho, expandia-se em louvores, expectativas e textos encomiásticos em jornais e revistas nacionais e estrangeiros, avançava no terreno com medições, avaliações, expropriações, promessas de compra e venda. Tudo silenciosamente, como uma mancha a crescer. A equipa reunia, inicialmente na Maia, depois num hotel em Paredes. Procurava-se o estatuto de Projecto PIN – Projecto de Potencial Interesse Nacional. De Paredes, interlocutava uma Agência Para o Desenvolvimento de Paredes, estrutura com muita ambição e muito resultado liquido negativo.
Em publicação gratuita da Câmara Municipal (Entre Paredes, de Agosto de 2010) o PlanIT Valley era explicado de A a Z, com cronograma de fases, promessas de postos de trabalho. Passos Coelho, candidato, em 12 de Abril de 2011, tomou conhecimento do projecto e afirmou que era “uma plataforma alargada de multinacionais ligadas ao sector tecnológico”. Mudou o governo. Santos Pereira visita o Concelho, e perante nova investida dos promotores, deve ter torcido o nariz, como Zorrinho, ao sr. Lewis e ao Dr. Celso.
A cidade inteligente transformou-se na cidade criativa, de dez milhões de euros de investimento em design. O quartel-general “hoteleiro” foi desmontado, alguém certamente pagou as despesas da festa, alguém certamente pagou as intervenções no terreno, alguém certamente pagou honorários a colaboradores, alguém…
O tempo passa, hoje, amanhã. Sem uma explicação, a primeira cidade inteligente da Europa permanece nos privados papéis do sr. Lewis e do Dr. Celso. O edifício central da futura urbe teria uma forma oval, cor verde esmeralda. Que lindo! A cidade inteligente teria um pequeno aeródromo, para deslocações rápidas. Que bom! A PlanIT Valley permitia uma redução de 50% dos custos das habitações. Que útil!
O sr. Lewis e o Dr. Celso certamente deviam influenciar positivamente Santos Pereira, Passos Coelho e outros, das vantagens da cidade inteligente e sustentável para Paredes. De contrário teremos uma fraude eleitoral, um abuso de confiança, um futuro a modos que…em maquete!

Cristiano Ribeiro