A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



sábado, 2 de junho de 2012

Assembleia Municipal de Paredes - breve sumário

Uma sessão da Assembleia Municipal de Paredes ocorreu no passado sábado. O mais significativo da Assembleia esteve nas intervenções algo confusas sobre a criação do Mega Agrupamento Escolar de Rebordosa e Vilela e a tentativa de ilibação de responsabilidades por parte do vereador da Educação Pedro Mendes, bem como a contundente intervenção politica global de Álvaro Pinto, da CDU, sobre o resultado de 1 ano do Pacto de Agressão.

O município encontra-se paralisado em termos de realizações ou projectos, limitando-se o executivo a apresentar pretensas justificações para a inércia ou a destilar um pessimismo desalentador. Aumenta o tem critico de alguns elementos do PSD local, nomeadamente sobre o Mapa Judiciário proposto. A análise sobre os documentos apresentados sobre a actividade do município (Abril-Junho de 2012) efectuada pelo eleito da CDU Cristiano Ribeiro revela também um desleixo e descoordenação interna que se traduz numa má imagem externa. Há em muitos dos protagonistas do poder um claro sinal de fim de ciclo.

A situação financeira real do município é uma grande interrogação. Persiste o discurso opaco. A causas reais de dificuldades, por todos os municípios sentidas, somam-se o tradicional despesismo e clientelismos que ficam caro, embora perpetuem o PSD no poder municipal.

Por fim a votação da toponímia de Recarei, ao contrário do usual, obteve votos contrários do PS e a abstenção da CDU. Não tendo obtido a unanimidade dos votos da AF de Recarei, a proposta apresentada pelo Pelouro do Desenvolvimento Municipal, e aprovada por maioria na reunião do Executivo (votos contra do PS), estava prejudicada pela prepotência do PSD na AF de Recarei, ao recusar proposta da CDU de atribuir o nome 25 de Abril a uma rotunda, para posteriormente aprovar o mesmo nome a outra.