A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



sábado, 18 de agosto de 2012

Encerramento da extensão de saúde da Livração (Freguesia de Toutosa – Concelho de Marco de Canaveses)

O Grupo Parlamentar do Partido Comunista Português, através do Deputado Jorge Machado, eleito pelo distrito do Porto, questionou o Ministério da Saúde na Assembleia da República


Assembleia da Republica

Assunto: Encerramento da extensão de saúde da Livração (Freguesia de Toutosa – Concelho de
Marco de Canaveses)

Destinatário: Min. Da Saúde


Ex. ma Sr.ª Presidente da Assembleia da República

A Extensão de Saúde da Livração, na freguesia de Toutosa, serve cerca de 4500 utentes provenientes das freguesias de Toutosa, Santo Isidoro, Constance, Banho e Carvalhosa e o lugar de Selala, da freguesia de Vila Caíz, do concelho de Amarante.

Esta Extensão está integrada no Centro de Saúde de Marco de Canaveses, o qual sofreu recentemente obras de beneficiação.

Acontece que, chegou ao conhecimento do PCP diversas queixas de utentes da Extensão de Saúde Livração (CS Marco de Canaveses), referindo a impossibilidade de aceder à prestação de cuidados médicos por encerramento anormal das instalações.

Na verdade, recentemente os utentes foram informados do encerramento desta extensão apenas pela afixação de um cartaz na porta como se de um estabelecimento comercial se tratasse e os utentes uns meros clientes.

Ora, tal procedimento não é aceitável, mostra falta de respeito pelos direitos mais básicos dos utentes e obriga a que se tomem medidas para garantir o integral funcionamento desta extensão de saúde.

Importa referir que, de acordo com informações recolhidas, há utentes que esperam três meses por uma consulta.
Assim, ao abrigo da alínea d) do artigo 156º da Constituição e nos termos e para os efeitos do

229º do Regimento da Assembleia da República, pergunto ao Ministério da Saúde o seguinte:
1.Porque foi encerrada a extensão de Saúde da Livração?

2. Deve-se essa decisão, de não abertura desta extensão de saúde, a algum problema de falta de meios materiais ou humanos?

3. Que medidas vai este ministério tomar para resolver este problema?

Palácio de São Bento, Sábado, 18 de Agosto de 2012

Deputado/a(s)
Jorge Machado (PCP)