A revolução do 25 de Abril de 1974 trouxe a Portugal Liberdade, pondo fim a um longo período de Ditadura fascista de 49 anos. Após 1976 houve retrocessos graves no processo desta revolução, patrocinada por partidos reaccionários de direita tendo como aliados algumas famílias Fascistas. Portugal foi caminhando o trilho de uma sociedade capitalista, geradora de profundas injustiças sociais.



Neste blog iremos denunciar os sistemáticos atentados que todos os dias ocorrem às Liberdades, Direitos e Garantias que herdámos de homens e mulheres que lutaram para que fosse possível o maior acontecimento histórico do século xx em Portugal.



sábado, 15 de setembro de 2012

Sobre a manifestação de 15 Setembro

Filhos de Abril : É necessário transformar a indignação em ação, para que as manifestações de rua não sejam meros atos de protesto,muito louváveis sem dúvida, mas que deverão ter continuidade numa luta por uma nova política.

Hoje, dia 15, muita gente vem para as ruas protestar, manifestar o seu repúdio contra as consequências da política prosseguida (através de multiformes alianças) desde há anos, consequências que atingem limites de suportabilidade. Estou solidário com quem assim o faz.

No entanto, mais que protestar contra as consequências, há que lutar contra as causas, há que prosseguir com a luta de denúncia e rejeição que se faz, há anos, em cada momento (todos históricos), contra o que nos trouxe a estas consequências.
Hoje, há que mobilizar para essa luta contra as causas, há que impedir que a revolta seja aproveitada, seja manipulada para contrariar a luta consequente e permanente. Seja a torneira de escape ou o pretexto para provocações.

A indignação é mais que legítima, como é indispensável a inserção dos justamente indignados numa luta organizada (não só de alguns, por muitos que sejam, luta convergente, de cada vez mais). Organizada porque discutida, debatida, convergente e com o objectivo de derrotar esta política, que tem, agora, o rosto de uma agressão vinda do exterior e realizada por serventuários internos, com tanto zelo que até começam a ter contra si - e na aparência, no ludíbrio... - os próprios mandatários.

Saúdo, e por mim falo, todos os que hoje se manifestam, justamente indignados.
E preparo-me (com muitos), para a manifestação organizada (por e para muitos, em que incluiria os hoje justamente indignados) para 29 de Setembro, no Terreiro do Paço.
Que terá de ser ENORME!

 
 
Publicado por Sérgio Ribeiro em http://anonimosecxxi.blogspot.pt/